publicidade

O Campeonato Brasileiro de Kart

Escrito por Bruna Tomaselli
A catarinense Bruna Tomaselli compete na USF2000 e integra o Programa Road To Indy buscando chegar à categoria máxima do automobilismo nos Estados Unidos, a Fórmula Indy.

O Brasileiro de kart é, com certeza, a competição mais esperada por todos os kartistas e equipes. Todas as provas e campeonatos que são realizados no primeiro semestre servem para deixar o piloto ainda mais preparado para o mês de julho. Com certeza, passar a semana trabalhando junto com a equipe, aprendendo a cada treino e buscando o melhor a cada volta para sair com a vitória e muito aprendizado no maior campeonato do Brasil é muito bacana. Este ano, a primeira fase do Campeonato Brasileiro começa dia 9 de julho e, na semana seguinte a segunda fase, ambas no Kartódromo da Granja Viana.

Eu, três anos depois de começar a competir de kart, participei do meu primeiro Brasileiro, na categoria Cadete. Foi em Farroupilha, em 2007, e só quem estava lá sabe o frio que deu naquela semana. Até para quem é do Sul, inclusive eu, naturalmente acostumados com o inverno, sentimos muito, mas muito frio naquele Brasileiro. Usávamos luvas cirúrgicas por baixo das luvas normais e ainda assim as mãos congelavam. Em 2008, foi totalmente ao contrário. Em Fortaleza era muito quente em julho. Infelizmente, apesar da viagem sensacional que tivemos naqueles dias, a minha corrida terminou na primeira curva por conta de um toque que me tirou da prova.

Em 2009, viajamos para longe novamente. Fomos para Goiânia, no meu primeiro ano na Júnior Menor. Já 2010, foi um dos meus campeonatos mais “emocionantes”, em Volta Redonda, no Rio de Janeiro. Ainda na Júnior Menor, eu estava com muito azar naquela semana.  Em todas as baterias, por conta de algum problema, eu largava atrás do grid. Nas últimas voltas, quando estava entre os 10, acontecia algum imprevisto que me impedia de terminar a corrida. Porém na semifinal, foi o ápice de adrenalina que senti naquele final de semana. Eu estava na oitava posição, o que me daria uma boa colocação para a largada da final, porém, faltando algumas curvas para acabar a corrida, outro piloto tentou me ultrapassar e nós dois ficamos presos no meio da pista. Incontrolavelmente, como uma lutadora do UFC, eu sai do kart e dei um tapa no capacete dele. Até hoje conto essa história como um dos fatos mais loucos que aconteceu nas minhas corridas. É claro que eu estava muito errada, mas o fato rende boas risadas até hoje.

Em 2011, foi em Interlagos. Na categoria Júnior e como sempre com quase 30 pilotos no grid, as corridas foram muito disputadas. Foi neste ano, que eu conquistei a minha melhor colocação em um Brasileiro. Terminei em quinto na bateria final, largando de 15º. Eu fiquei muito feliz, pois foi a primeira vez em um Campeonato Brasileiro que subi ao pódio. Em 2012 voltamos para o Sul, quando terminei na oitava posição em Cascavel.

Depois de seis anos consecutivos participando do Campeonato Brasileiro de Kart, fiquei dois sem participar, e voltei em 2015, no Velopark, na Shifter. Competi ao lado de Rubens Barrichello, e sem dúvida, obtive grande aprendizado durante aqueles dias. E é para isso que serve esse campeonato, não somente para consagrar o campeão do Brasil, mas também ensinar muito a todos os pilotos que participam. Nas duas semanas do Brasileiro desse ano eu vou estar na 5ª e 6ª etapa da USF2000, porém não vou deixar de acompanhar. Boa sorte a todos galera. E lembrem-se: aproveitem ao máximo todos os treinos, tomadas de tempo e corridas, pois no Campeonato Brasileiro é que se aprende muito.

Leia mais colunas do autor