publicidade
13/12/2017 09:08

Guilherme Figueiredo ficou com o vice na Júnior Menor após sofrer batida


Foto: Bruno Gorski

Guilherme Figueiredo


Intensa, emocionante, frustrante. Vários adjetivos podem definir a última e decisiva etapa da Copa São Paulo Light. A competição, disputada no último sábado (9) no Kartódromo Aldeia da Serra, na Grande São Paulo, reuniu ais de 120 pilotos e definiu os campeões da temporada 2017.

Competindo pela categoria Júnior Menor, o piloto sergipano Guilherme Figueiredo (Banese Card | Banese Corretora de Seguros | Maratá | Restaurante Karranca’s) chegou a esta última rodada liderando a competição, porém, com apenas um ponto de vantagem para o segundo colocado. Era sabido que a disputa seria muito apertada e, deste modo, a equipe D. Racing levou o piloto para a pista durante todos os dias da última semana.

Concentrado, Guilherme esteve muito bem nas sessões de treinos particulares e, mesmo nos treinos coletivos, na quinta e sexta-feira, o piloto se mostrou muito rápido e consistente. As coisas começaram a mudar na tomada de tempos, que foi disputada com chuva na tarde de sexta-feira. Com o tempo de 55m423, o piloto se garantiu na terceira posição para o grid de largada da primeira das três provas que fariam parte da última etapa do ano.

Cada uma das três provas da rodada tripla teve histórias diferentes, mas Guilherme mostrou a mesma garra e arrojo de sempre em todas. Figueiredo, com um kart que não tinha nem de longe o rendimento visto nas demais provas do ano, fazia o possível para se manter no TOP5. Além disso, preocupado em terminar as provas à frente de seu concorrente direto, acabou perdendo várias posições e teve de lutar muito em busca de somar o maior número de pontos possíveis.

Mesmo com todas as adversidades, Gui ainda registrou a volta mais rápida nas corridas um e dois e seguiu para a terceira bateria com boas condições de título. Tudo caminhava bem e, em prova de recuperação, Figueiredo já vinha no terceiro lugar quando simplesmente foi jogado para fora da pista por um outro concorrente, que nada tinha a ver na disputa pelo título. Focado, Gui voltou para a pista no sexto lugar, andou muito rápido e, ao fim das 18 voltas, recebeu a bandeirada na quinta posição. Pela soma dos resultados do ano, o piloto sergipano somou 82 pontos, porém, pelos critérios de desempate do campeonato, ficou com o vice-campeonato.

“Estou muito triste e decepcionado. Fizemos tudo o que precisava fazer, eu já era o terceiro, mas, infelizmente, tem concorrentes que não tem a menor noção do que estão fazendo dentro da pista. O garoto até foi desclassificado, mas não adiantou nada, ele me tirou o título que batalhamos o ano inteiro para conseguir. Se não fosse por isso eu teria terminado a última prova no mínimo em terceiro e teria sido campeão. Realmente uma pena. Só me resta levantar a cabeça e me preparar para um ano de aprendizagem e vitórias em minha estreia na Júnior, em 2018”, comentou o jovem piloto.

Fonte: Quick Comunicação e Marketing

  • Não há comentários cadastrados até o momento!