publicidade
11/04/2018 08:59

Karts Vintage deram show à parte em disputas de regularidade e originalidade no Sul-Brasileiro


Foto: Planet Kart Images | Cris Reis

Marcelo Afornali e seu Mini Brasil 1971


Em meio as disputas do 21º Campeonato Sul-Brasileiro em Londrina, uma categoria e seus karts chamaram a atenção de todos. Afinal, que karts tão diferentes eram aqueles?

Eram os Vintage, karts restaurados com o objetivo de preservar a história do nosso esporte. O mais novo dentre os que estavam em Londrina é de 1979, tem quase 40 anos de “idade”, e o mais velho é de 1971, se aproximando dos 50 anos de sua fabricação.

A Vintage participou do Sul-Brasileiro e revelou seu campeão, mas em um formato diferente das demais categorias. Com o objetivo da preservação do kart vintage e da história do automobilismo de base, a regulamentação para a categoria foi alterada no começo do ano de 2018, procurando trazer o regulamento nacional para o usado na Europa, oferecendo equivalência e buscando manter o mais próximo possível dos regulamentos e pedidos formalizados pela CIK-FIA (karts somente de 1956 - 1984).

Então, o que valia mesmo era a regularidade e de cada uma das três baterias foram aproveitadas apenas as três melhores voltas de cada piloto. Com o objetivo de manter intactos os karts, o piloto tem 10 minutos para aquecer o equipamento e escolher o melhor momento para suas três voltas rápidas, traçando sua estratégia sem comprometer o conjunto. Isto, da mesma forma, evita confrontos diretos e acidentes que podem destruir peças históricas.

Assim, obtendo-se a média entre as três voltas, determina-se uma comparação à melhor volta e, fazendo-se a subtração da volta mais rápida, o menor coeficiente (perda) é o vencedor da bateria.

A categoria dá pontos também para a originalidade (90), mesma pontuação para o resultado de cada bateria, sem esquecer do descarte do pior resultado.

Então, ao fim de todas as atividades em Londrina, houve um empate técnico entre Emilio Afornali e Marcelo Afornali. O desempate, por regulamento, favoreceu o kart mais antigo, que determinou a vitória do Mini Brasil 1971 de Marcelo Afornali.

A Vintage teve as especiais participações em pista de Rubens Gatti, presidente da Federação Paranaense de Automobilismo (FPrA), Daniel Procópio, organizador das 500 Milhas de Londrina, e de Sidney Franchello, pentacampeão Paranaense de kart e participante da Delegação Brasileira no Mundial de kart de 1974.

Veja o resultado final:
1 Marcelo Eduardo Afornali - Kart MINI Brasil / Riomar V-12 1971
Sal Diana | Retífica Paulista | Cachimbina Giromax

2 Emílio Afornali - Kart Maxi-MINI / Parilla SS-20 1971
Sal Diana | Retífica Paulista | Auto Posto Morretes

3 Eduardo Garcia - Kart MINI Inter / Riomar V-12 1979
Autopeças União

4 Júnior Kamarowski - Kart MINI SS / Riomar V-12 1976
Sky Morretes Antenas

5 Sidney Franchello - Kart MINI Brasil / Riomar V-12 1971
Itaguaçu Team

Fonte: Portal Kart Motor | Erno Drehmer

  • Não há comentários cadastrados até o momento!