publicidade
05/12/2017 12:38

Pedro Trevisol competiu em Venâncio Aires e conquistou o tetracampeonato gaúcho


Foto: Idalicio Umpierre

Pedro Trevisol


Depois de ter feito uma ótima temporada em 2016, quando foi campeão Sul-Brasileiro, Catarinense e Gaúcho, o piloto Pedro Trevisol (Alabastro | Indusflex | Arteforma | Gensul Plásticos) estreou em 2017 com grande motivação. Porém, os planos não deram certo e uma sequência de erros acarretou na perda de títulos importantes no primeiro semestre.

Os maus resultados, entretanto, não o desmotivaram. Pelo contrário, lhe deram mais força para ir em busca de outros títulos. O objetivo principal para o segundo semestre era conquistar o Campeonato Gaúcho. Assim, participar de algumas copas regionais, além de lhe deixar em plena atividade, lhe possibilitaria lutar por pontos extras para a disputa do Gaúcho.

Pedro Trevisol esteve presente, dentre outras, nas provas realizadas em Bagé, no interior do Rio Grande do Sul, mas não pôde disputar a última rodada em função da coincidência de datas com o Campeonato Catarinense. E foi em uma delas que percebeu que teria que evoluir para voltar ao topo. “Tínhamos que intensificar nossos treinamentos em busca de qualidade, de evolução”, relembra Trevisol.

A notícia de que o Campeonato Gaúcho seria disputado também com motores próprios em sua categoria, nacionalmente conhecida como F4, animou ainda mais o piloto e seu pai e preparador Nívio Trevisol. “Voltamos no tempo, voltamos a 2010, quando meu pai foi campeão gaúcho competindo com motores próprios em uma categoria que hoje, basicamente, utiliza apenas motores sorteados”, conta o piloto.

Assim, o piloto e sua equipe decidiram participar de duas categorias no Campeonato Gaúcho, que foi disputada no último final de semana em Venâncio Aires, a 130 quilômetros de Porto Alegre. “Corremos com motores próprios, na Super 4T Master, e com motores sorteados, na Super 4T Light, esta última ainda mais equilibrada e com a presença de um bicampeão brasileiro. E fomos muito bem”, comemora Pedro Trevisol Alabastro | Indusflex | Arteforma | Gensul Plásticos).

Sempre apoiado pelos conhecimentos técnicos de seu pai, Pedro Trevisol disputou três baterias em cada categoria e esteve sempre entre os primeiros colocados. Na Master, depois de dois segundos e um terceiro lugar, ele finalizou o Gaúcho em 3º. E na Light, dominador, ele venceu as três provas e comemorou a conquista do tetracampeonato gaúcho.

“Na última bateria da Master cheguei a liderar, mas não consegui um bom rendimento e terminei em segundo, com o 3º lugar no campeonato”, lembra Trevisol. “E na Light, foram 20 voltas bastante cansativas na última bateria. Nas quatro primeiras foi difícil defender a ponta, mas depois fui no meu limite para abrir uma ótima vantagem, vencer e me tornar tetracampeão gaúcho. Assim, terminamos um ano difícil e suado com chave de ouro”, vibra. “Agradeço aos meus patrocinadores, Alabastro, Indusflex, Arteforma e Gensul Plásticos, pois sem eles eu não teria como correr de kart”, finaliza.

Fonte: KG COM Assessoria de Comunicação

  • Não há comentários cadastrados até o momento!