publicidade
03/07/2018 11:48

Na pista, Antonella Bassani terminou no top 3 do Campeonato Sul-Americano Rotax


Foto: Jackson de Souza

Antonella Bassani


Com apenas 12 anos, Antonella Bassani comprovou o histórico de crescer e se destacar em competições importantes. Em 2017, a catarinense foi 3ª colocada no Campeonato Brasileiro entre 55 competidores, vice no Campeonato Brasileiro de Rotax, e terminou em 8º lugar no Mundial de Rotax, em Portugal, em sua primeira experiência no kartismo europeu, entre 36 pilotos do mundo todo.

Em 2018, a pilota subiu de categoria, passou por um período de adaptação e evolução correndo na Rotax Mini Max, e na disputa do Campeonato Sul-Americano de Rotax, disputado na semana passada, entre 25 e 30 de junho, ela novamente esteve entre os melhores, com uma grande performance.

Realizado no Kartódromo Granja Viana, onde Totti está acostumada a disputar a Copa São Paulo e a Copa Rotax, a pilota se mostrou bem competitiva desde os primeiros treinos oficiais, na terça-feira, entre os 16 concorrentes da categoria, dos quais metade eram estrangeiros. Com um formato diferente, o Sul-Americano contou com 12 sessões curtas de treinos para que os pilotos buscassem o melhor acerto de seus equipamentos, até quinta-feira.

O dia seguinte foi igualmente intenso, com uma tomada de tempos e três baterias classificatórias. Antonella garantiu a 6ª posição no grid de largada e completou as corridas, de sete voltas de duração cada, com um 7º e dois 6º lugares, em provas muito disputadas e com os pilotos todos muito próximos. Assim, na soma dos resultados, ela ficou com o 6º lugar para o início na pré-final.

O sábado foi o dia de decisões. Na corrida pré-final, Bassani teve um grande desempenho com belas ultrapassagens e muita garra e terminou as 11 voltas na 3ª posição, assegurando assim um lugar na segunda fila para largada na última corrida. A final foi emocionante, com constantes trocas de posições entre os primeiros e cinco pilotos brigando de igual para igual durante boa parte das 15 voltas totais. Antonella chegou a assumir a liderança por uma volta, e cruzou a linha de chegada em 4º lugar, mas com as punições desportivas de alguns adversários, ficou com o 3º lugar geral. Porém, pouco antes do pódio, na vistoria técnica, a pilota foi punida e desclassificada da disputa.

Apesar do duro golpe, Antonella - que foi vice-campeã Sul-Americana em 2016, no Peru - ficou satisfeita com sua performance na pista, e leva isso como ponto positivo para os próximos desafios. Após uma semana de treinos, ela inicia a disputa do Campeonato Brasileiro, no circuito da Granja Viana. Entre o dia 10 a 14 de julho, ela compete na categoria Júnior Menor, e, entre os dias 17 a 21, na Codasur Junior.

“Foi uma semana muito intensa de disputas, de muito trabalho, onde conseguimos evoluir bastante e chegamos fortes na decisão. A categoria Rotax Mini Max estava muito equilibrada, com competidores de alto nível de outros países também, e estivemos sempre competitivos. Na final, fiz uma boa corrida, brigando por posições e cheguei até a liderar a prova por uma volta, terminando em 3º. Porém, após a vistoria técnica, tomamos uma punição que nos desclassificou. Fiquei muito chateada, apesar de ser algo fora do meu controle, mas vou levar todo o aprendizado e bom desempenho que tivemos para os dois próximos desafios que temos no Campeonato Brasileiro”, disse Antonella.

Antonella Bassani tem o apoio de Passarela Supermercados, Poletti Seguros, Rocfer, Bassani Pesados e Life Academia.

Fonte: Eversport

  • Não há comentários cadastrados até o momento!